sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Cuidado com a fofoca
Nós podemos cometer o erro de falar coisas que não trazem
edificação. Podemos cair na grande cilada de criticar as pessoas por
aquilo que julgamos ser certo ou errado.
“Você pode conhecer mais de uma
pessoa pelo que ela diz dos outros do que pelo que os outros
falam dela”. “A fofoca é um instrumento dos
inseguros, infelizes, maldosos e manipuladores”.
Sempre que alguém tenta nos atrair para uma conversa com fofocas,
devemos imaginar o que essa pessoa dirá a nosso respeito quando
nos afastarmos.
Nossa bússola é a Bíblia. Ela nos orienta sobre o que é certo e o que
é errado aos olhos de Deus.
Devemos estar atentos para não nos transformarmos em
mensageiros da agonia, em aves de rapina. A gripe aviária é um bom
exemplo para nós. Uma transmite o vírus para a outra e ele é fatal.
Devemos estar atentos para não nos alimentarmos de nossa
carnalidade. Se não honrarmos o Senhor Jesus com nosso viver, com
os dizeres de nossos lábios e o meditar do nosso coração; se nós não
crermos na sua Palavra e não a praticarmos; nada acontecerá em
nossas vidas.“Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e
aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a
Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com
gratidão, em nosso coração. E tudo o que fizerdes, seja em
palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus,
dando por ele graças a Deus Pai”. Cl 3.16-1
“O alimento adequado está subordinado a maturidade
conquistada.
Pr.Alex Rabello

domingo, 20 de novembro de 2011

Você está no lugar certo???



Uma mãe e um bebê camelo, estavam por ali, à toa, quando de repente o bebê camelo perguntou:
- Por que os camelos têm corcovas?
- Bem, meu filhinho, nós somos animais do deserto, precisamos das corcovas para reservar água e por isso mesmo somos conhecidos por sobreviver sem água.
- Certo, e por que nossas pernas são longas e nossas patas arredondadas?
- Filho, certamente elas são assim para permitir caminhar no deserto. Sabe, com essas pernas longas eu mantenho meu corpo mais longe do chão do deserto que é mais quente que a temperatura do ar e assim fico mais longe do calor. Quanto às patas arredondadas eu posso me movimentar melhor devido à consistência da areia! - disse a mãe.
- Certo! Então, por que nossos cílios são tão longos? De vez em quando eles atrapalham minha visão.
- Meu filho! Esses cílios longos e grossos são como uma capa protetora para os olhos. Eles ajudam na proteção dos seus olhos quando atingidos pela areia e pelo vento do deserto! - respondeu a mãe com orgulho.
- Tá. Então a corcova é para armazenar água enquanto cruzamos o deserto, as pernas para caminhar através do deserto e os cílios são para proteger meus olhos do deserto. Então o que é que estamos fazendo aqui no Zoológico???
Moral da história:
Habilidade, conhecimento, capacidade e experiências, só são úteis se você estiver no lugar certo!
JONAS NO NAVIO PARA TARSIS, E NÃO EM NÍNIVE.

O lugar de Jonas deveria ser a cidade de Nínive.

A ordem de Deus a Jonas: “Dispõe-te, vai a grande cidade de Nínive e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até mim”.

Jonas, na contramão, pegou um barco e foi em outra direção – a Társis.

Naquele barco, Jonas era um crente em um lugar errado.
Os marinheiros fizeram – lhe várias perguntas:

Que ocupação é a tua?
Donde vens?
Qual a tua terra?
E de que povo és tu?

Por andar na contramão, Jonas teve que pagar uma multa muito cara: foi parar no ventre de um grande peixe.
Quão bom que o milagre aconteceu! Jonas foi para o lugar certo, onde deveria estar – a cidade de Nínive. Ele pregou a mensagem, fazendo agora a vontade de Deus
Pr.Alex Rabello

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Um ao outro ajudou e disse esforça-te!
(Isaías 41.6).

No outono, quando se vêem bandos de aves voando, formando um grande V no céu, indaga-se o porquê de voarem desta forma. Sabe-se que quando cada ave bate as asas, move o ar para cima, ajudando a sustentar a ave imediatamente de trás. Ao voar em forma de V, o bando se beneficia com muito mais força de vôo do que uma ave voando sozinha.
Pessoas que têm a mesma direção e sentido de comunidade podem atingir seus objetivos de forma mais rápida e fácil, pois viajam beneficiando-se de um impulso mútuo.
Sempre que uma ave sai do bando, sente subitamente o esforço e a resistência necessários para continuar voando sozinha. Rapidamente, ela entra outra vez em formação para aproveitar o deslocamento de ar provocado pela ave que voa imediatamente à sua frente.
Se tivéssemos o mesmo sentido, manter-nos-íamos em formação com o que lideram o caminho para onde também desejamos seguir.
Quando a ave líder se cansa, ela muda de posição dentro da formação e outra assume a liderança.
Vale a pena nos revezarmos em tarefas difíceis, e isto serve tanto para as pessoas quanto para as aves que voam juntas. As aves de trás gritam encorajando as da frente para que mantenham a velocidade.
Finalmente quando uma ave fica doente ou, se fere, duas aves saem da formação e a acompanham para ajudá-la e protegê-la. Ficam com ela até que consiga voar novamente ou morra. Só então, levantam vôo, sozinhas, ou em outra formação.
Se tivéssemos o sentido das aves também ficaríamos da mesma forma um ao lado do outro para apoiar o mais fraco.
Lembre-se que unidos somos mais fortes. E que todo Reino dividido não prospera!
Por isso que precisamos fazer com que nossa vida seja frutífera, precisamos entender que o princípio de aliança é algo que está no coração de Deus, para permitir que juntos estabeleçamos uma conquista muito maior.
Pr.Alex Rabello

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Domínio público e particular

Rabi Yisrael Salanter caminhava pela rua certo dia, pouco antes de Yom Kipur, quando encontrou outro judeu. Rabi Yisrael perguntou ao homem sobre sua saúde, e o homem começou a chorar histericamente.
Depois que Rabi Yisrael o acalmou, perguntou ao homem o que o aborrecia tanto. "Rebe," disse o homem, "estou apavorado pelo meu julgamento em Yom Kipur."
Percebendo que o comportamento do homem estava afetando outras pessoas na rua também, Rabi Yisrael disse-lhe: "Seu coração é um domínio privado. Dentro dele, pode chorar tanto quanto quiser. Por outro lado, seu rosto é de domínio público, e você não tem o direito de incomodar os outros com seus problemas pessoais.
Do coração procedem as fontes da vida -(Pv 4.20-27).
Dele é necessário retirar todas as manchas, cicatrizes de amargura, frustrações, toda a sujeira que esteja poluindo a alma. Jesus adverte que o mal vem de dentro - (Mc 7.14-23) e Jeremias fala dos enganos do coração (Jr 17.9), por isso faz-se necessário permitir um trabalho profundo do Espírito Santo para a remoção de tudo que possa comprometer a beleza do caráter do Cristão. O Salmo 139.23-24 nos conduz à confissão e quebrantamento pela ação do espírito.
A mente exerce um grande poder sobre nós. Somos, realmente, aquilo que pensamos - belas ou feias, novas ou velhas. Paulo fala em transformação pela renovação da mente (Rm 12.2). Faz mais efeito que as operações plásticas que concertam ou pioram apenas o que é exterior. Encher a mente de pensamentos positivos (Fp 4.8) e preenchê-la com a Palavra de Deus (Cl 3.15). Aí se encontra o verdadeiro segredo da força da juventude.
O óleo da união derramado sobre a cabeça de Arão (Sl 133) que nos leva a amar as pessoas, aceitá-las como são. Óleo que lubrifica os relacionamentos, fluindo como ingredientes para uma convivência saudável. Também o óleo da unção do Espírito que ungindo a cabeça, faz transbordar o coração (Sl 23.5).
É o louvor. Salmo 34.1 nos recomenda a usá-lo constantemente. Evitemos palavras ferinas, negativas ou hábitos da murmuração. Enfeitar os lábios com palavras de louvor, de conforto, que levante os abatidos e glorifiquem ao nosso Rei (Sal 19.14).
Não há processo mais eficaz para embelezar a face do que a alegria. "O coração alegre aformoseia o rosto..." ( Pv 15.13 ).
Pr.Alex Rabello

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Aprenda a respeitar o chamado e o ministério do seu próximo!!!

Há muito tempo, na cidade de Zahlé, ocorreu uma rixa entre um jovem poeta, de nome Fauzi, e um oleiro, chamado Nagib.
Para evitar que o tumulto se agravasse, eles foram levados à presença do juiz do lugarejo.
O juiz, homem íntegro e bondoso, interrogou primeiramente o oleiro, que parecia muito exaltado.
"Disseram-me que você foi agredido? Isso é verdade?"
"Sim, senhor juiz." - confirmou o oleiro - "fui agredido em minha própria casa por este poeta. Eu estava, como de costume, trabalhando em minha oficina, quando ouvi um ruído e a seguir um baque.
Quando fui à janela pude constatar que o poeta Fauzi havia atirado com violência uma pedra, que partiu um dos vasos que estava a secar perto da porta.
Exijo uma indenização!" - gritava o oleiro.
O juiz voltou-se para o poeta e perguntou-lhe serenamente: "Como justifica o seu estranho proceder?"
"Senhor juiz, o caso é simples." - disse o poeta.
"Há três dias eu passava pela frente da casa do oleiro Nagib, quando percebi que ele declamava um dos meus poemas. Notei com tristeza que os versos estavam errados. Meus poemas eram mutilados pelo oleiro.
Aproximei-me dele e ensinei-lhe a declamá-los da forma certa, o que ele fez sem grande dificuldade.
No dia seguinte, passei pelo mesmo lugar e ouvi novamente o oleiro a repetir os mesmos versos de forma errada.
Cheio de paciência tornei a ensinar-lhe a maneira correta e pedi-lhe que não tornasse a deturpá-los.
Hoje, finalmente, eu regressava do trabalho quando, ao passar diante da casa do oleiro, percebi que ele declamava minha poesia estropiando as rimas e mutilando vergonhosamente os versos.
Não me contive. Apanhei uma pedra e parti com ela um de seus vasos.
Como vê, meu comportamento nada mais é do que uma represália pela conduta do oleiro."
Ao ouvir as alegações do poeta, o juiz dirigiu-se ao oleiro e declarou: "que esse caso, Nagib, sirva de lição para o futuro. Procure respeitar as obras alheias a fim de que os outros artistas respeitem as suas.
Se você equivocadamente julgava-se no direito de quebrar o verso do poeta, achou-se também o poeta egoisticamente no direito de quebrar o seu vaso."
E a sentença foi a seguinte: "determino que o oleiro Nagib fabrique um novo vaso de linhas perfeitas e cores harmoniosas, no qual o poeta Fauzi escreverá um de seus lindos versos. Esse vaso será vendido em leilão e a importância obtida pela venda deverá ser dividida em partes iguais entre ambos."
A notícia sobre a forma inesperada como o sábio juiz resolveu a disputa espalhou-se rapidamente.
Foram vendidos muitos vasos feitos por Nagib adornados com os versos do poeta. Em pouco tempo Nagib e Fauzi prosperaram muito. Tornaram-se amigos e cada qual passou a respeitar e a admirar o trabalho do outro.
O oleiro mostrava-se arrebatado ao ouvir os versos do poeta, enquanto o poeta encantava-se com os vasos admiráveis do oleiro.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

'' AS PESSOAS FAZEM HISTORIA, MAS RARAMENTE SE DÃO CONTA DO QUE ESTÃO FAZENDO''

Há uma frase interessante que diz: “A pior tragédia da vida é não ter desejo de realizar algo”
Se você quer aproveitar bem seu tempo de vida, então, deve se lembrar da seguinte pergunta: Como você desejaria ser lembrado quando partisse? Bem, se você passou toda a sua vida apenas centralizado em você mesmo, provavelmente, ao partir, irá cair logo no esquecimento. Por outro lado, se realizar algo grandioso em prol da humanidade, terá seu nome e seus feitos lembrados por muito tempo. Muitos irão querer imitar-lhe o exemplo e você será uma referência para outros de várias gerações. Quer ver alguns exemplos que até hoje são referências para a raça humana? Pois bem, vamos lembrar: , Davi,Salomão Apóstolo Paulo,Apóstolo pedro, Martin Luther King, John Wesley, Martinho Lutero, George Müller, e lógico, não podemos nos esquecer do maior de todos que sempre será lembrado e imitado, é claro que estou falando do SENHOR JESUS CRISTO.
VOCÊ TEM QUE PERDOAR A TODOS QUANTOS TE OFENDERAM
A ofensa é uma das principais armadilhas usadas do diabo para levar as pessoas cativas. A ofensa é a principal arma do diabo para nos ferir.
Jesus disse: O problema não são os momentos em que seremos ofendidos, mas qual será a nossa reação.
Os frutos da ofensa são conhecidos: A dor, a ira, o escândalo, os ciúmes, o ressentimento, as disputas, a amargura, o ódio, a fofoca, a inveja, a traição e a vingança.
Não carregue mágoas, ressentimentos e amarguras. Sendo necessário, perdoe ou peça perdão. Geralmente as duas coisas serão necessárias, pois ninguém está sempre e totalmente certo.
Mc. 11.25-26 E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas. 26 [Mas, se não perdoardes, também vosso Pai celestial não vos perdoará as vossas ofensas.]
Sua existência aqui na terra, você vai ser lembrado por duas coisas, a saber:
- os problemas que você resolveu;
- os problemas que você criou;
“Não pergunte o que o mundo precisa. Pergunte o que fazer para Arrebatar alguns do fogo do inferno e corra atrás disso”.
COMO VOCÊ VAI SER LEMBRADO,OU QUE JÁ ESTÃO FALANDO DE VOCÊ?
Pr.Alex Rabello

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Quem estamos imitando?E com quem estamos parecendo?



Uma pessoa com as credenciais de Paulo poderia afirmar com certa segurança: "Sede meus imitadores, como eu sou de Cristo." Mas como alguém, com minhas credenciais, consegue fazer tal afirmação?
Minha dificuldade não para aí, é um pouco mais grave. Se não consigo fazer uma afirmação assim por falta de coragem, convicção, por achar que não sou uma imitação confiável de Cristo, surge outro problema, certamente mais grave: se não imito a Cristo, a quem imito?
Para Paulo, não chegava a ser nenhum absurdo afirmar: "Sede meus imitadores como eu sou de Cristo."
Não havia nenhuma arrogância em suas palavras, nenhuma prepotência, apenas a certeza de que era a Cristo, e a nenhum outro, nem mesmo seus próprios interesses, que seguia.
Tinha a certeza de que sua vida refletia a glória de Cristo, seus sofrimentos, sua alegria e seus propósitos.
A segurança e a serenidade de que podia se expor, ser verdadeiro, pessoal, humano, afetuoso e simples em seus relacionamentos.
Talvez a dificuldade de muitos em fazer esta afirmação é que temos desenvolvido uma espiritualidade menos pessoal e mais institucional, burocrática, acadêmica, racional.
Buscamos mais experiências, informação, estruturas eclesiásticas, programas e sensações espirituais, e menos a Cristo e a transformação n'Ele.
Refletimos mais o mundo com suas ambições, ansiedades, temores e ambigüidades do que a Cristo com seu amor, graça, perdão e salvação.
"Sede meus imitadores como eu sou de Cristo" é a declaração daqueles que amam a Cristo, que seguem no caminho do discipulado, que não se interessam por nenhuma outra coisa que não seja Cristo e sua perfeita humanidade, que não desejam nada a não ser a comunhão com sua vida, sofrimento, alegria e glória.
Pr.Alex Rabello

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Culto da Família Cristo Salva
Somos a Igreja Cristo Salva,Regional de Pirituba São Paulo, uma igreja familiar. Sempre buscando aquilo que o Senhor Jesus nos ensinou, ''Levar o Evangelho a toda criatura; em tempo e fora de tempo pregar a palavra; porque Conhecereis a Verdade e ela te Libertará!''
Uma igreja que Cremos nos Dons,e em um Deus em três pessoas distintas,Pai,Filho e Espírito Santo,Cremos no poder do nome de Jesus em libertar vidas da opressão do diabo,cremos na oração da fé que cura o enfermos e no batismo no Espírito Santo.
Nossa Família!






Voçê e sua família é nosso convidado para participar de um de nossos cultos, as Quartas e Sextas- feiras e sábados a partir das 19:30 hs e aos Domingos as 19:00 hs.
Com certeza, Deus tem uma benção para sua vida!
Venha e o Pr.Alex Rabelo estará intercedendo por você!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Abrindo a Porta

Numa terra em guerra, havia um rei que causava espanto.
Cada vez que fazia prisioneiros, não os matava, levava-os a uma sala, que tinha um grupo de arqueiros em um canto e uma imensa porta de ferro do outro, na qual haviam gravadas figuras de caveiras.
Nesta sala ele os fazia ficar em círculo, e então dizia:
- Vocês podem escolher morrer flechados por meus arqueiros, ou passarem por aquela porta e por mim lá serem trancados.
Todos os que por ali passaram, escolhiam serem mortos pelos arqueiros.
Ao término da guerra, um soldado que por muito tempo servira o rei, disse-lhe:
Senhor, posso lhe fazer uma pergunta?
- Diga, soldado.
- O que havia por trás da assustadora porta?
- Vá e veja.
O soldado então a abre vagarosamente, e percebe que a medida que o faz, raios de sol vão adentrando e clareando o ambiente, até que totalmente aberta, nota que a porta levava a um caminho que sairia rumo a liberdade.
O soldado admirado apenas olha seu rei que diz:
Eu dava a eles a escolha, mas preferiram morrer a arriscar abrir esta porta.

Quantas portas deixamos de abrir pelo medo de arriscar ?
Quantas vezes perdemos a liberdade, apenas por sentirmos medo de abrir a porta de nossos sonhos?
Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.
João 10:9 João 10.9
Pr.Alex Rabello

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O PASTOR E A SOLIDÃO

Quem é verdadeiramente responsável também é solitário. A solidão se instala onde se instala a responsabilidade.
Em última análise, os maiores líderes precisam pagar o preço da liderança. Consideremos alguns exemplos. Moisés não tinha amigos íntimos. Tampouco os teve Josué. Você encontra Davi com Jônatas apenas na mocidade — mas quando Davi se tornou rei de Israel, suas maiores batalhas, suas orações mais profundas e suas decisões mais difíceis ocorreram na solidão. O mesmo aconteceu a Daniel. E quanto aos demais profetas? Foram os mais solitários de todos os homens do Velho Testamento. Paulo freqüentemente mencionou isso em suas cartas. Assim disse ele a seu discípulo Timóteo:

"... todos os que estão na Ásia me abandonaram" (2 Timóteo 1:15)

Você alguma vez pensou no evangelista Billy Graham longe de suas cruzadas, e de suas aparições públicas periódicas? Pensou no presidente de alguma organização ou instituição educacional cristã? Faça isso durante algum tempo. Essas pessoas se qualificariam como ilustrações da declaração de A. W. Tozer: "A maior parte dos líderes deste mundo tem sentido solidão."
Por favor, não me interprete mal. Não queremos dizer que o líder mantém-se afastado, que não presta contas, que de propósito se retira, ou tem alguma coisa que esconder — trata-se apenas da natureza de suas funções. E na solidão que Deus lhe entrega grandes pensamentos; a mente precisa estar tranqüila e calma para recebê-los. Grande parte do peso do ofício não pode, simplesmente não pode ser suportado por outras pessoas. Ainda que a idéia possa parecer mística, é absolutamente essencial que as pessoas a quem Deus convoca e nomeia para cargos de liderança aprendam a respirar confortavelmente o ar rarefeito das altitudes do Himalaia, pois é ali que o conforto e a segurança de Deus chegam, nas asas do profundo silêncio da solidão. Ali a opinião humana se cala. A fé substitui o medo. Aprofunda-se a busca do caráter. É ali que nossa visão se torna clara, e onde se decanta a lama da correnteza de nossa vida.
É ali que os verdadeiros líderes, a sós, em solidão, adquirem o direito de ser respeitados. E aprendem o profundo sentido destas palavras imortais: "Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus."

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

As vezes valorizamos mais o conhecimento e posição do que as pessoas.




Não havia no povoado pior ofício do que 'porteiro do prostíbulo'. Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem? O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem escrever, não tinha nenhuma outra atividade ou ofício.
Um dia, entrou como gerente do prostíbulo um jovem cheio de ideias, criativo e empreendedor, que decidiu modernizar o estabelecimento. Fez mudanças e chamou os funcionários para as novas instruções.
Ao porteiro disse:
- A partir de hoje, o Senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários e reclamações sobre os serviços.
- Eu adoraria fazer isso, Senhor - balbuciou - mas eu não sei ler nem escrever!
- Ah! Quanto eu sinto! Mas se é assim, já não poderá seguir trabalhando aqui.
- Mas Senhor, não pode me despedir, eu trabalhei nisto a minha vida inteira, não sei fazer outra coisa.
- Olhe, eu compreendo, mas não posso fazer nada pelo Senhor. Vamos dar-lhe uma boa indenização e espero que encontre algo que fazer. Eu sinto muito e que tenha sorte.
Sem mais nem menos, deu meia volta e foi embora. O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. Que fazer? Lembrou que no prostíbulo, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava, com cuidado e carinho.
Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um emprego.. Mas só contava com alguns pregos enferrujados e um alicate mal conservado. Usaria o dinheiro da indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa. Como o povoado não tinha casa de ferragens, deveria viajar dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra.
E assim o fez. No seu regresso, um vizinho bateu à sua porta:
- Venho perguntar se você tem um martelo para me emprestar.
- Sim, acabo de comprá-lo, mas eu preciso dele para trabalhar... já que...
- Bom, mas eu o devolverei amanhã bem cedo.
- Se é assim, está bom.
Na manhã seguinte, como havia prometido, o vizinho bateu à porta e disse:
- Olha, eu ainda preciso do martelo. Porque você não o vende para mim?
- Não, eu preciso dele para trabalhar e além do mais, a casa de ferragens mais próxima está a dois dias mula de viagem.
- Façamos um trato - disse o vizinho. Eu pagarei os dias de ida e volta mais o preço do martelo, já que você está sem trabalho no momento. Que lhe parece?
Realmente, isto lhe daria trabalho por mais dois dias...aceitou. Voltou a montar na sua mula e viajou. No seu regresso, outro vizinho o esperava na porta de sua casa.
- Olá, vizinho. Você vendeu um martelo a nosso amigo. Eu necessito de algumas ferramentas, estou disposto a pagar-lhe seus dias de viagem, mais um pequeno lucro para que você as compre para mim, pois não disponho de tempo para viajar para fazer compras. Que lhe parece?
O ex-porteiro abriu sua caixa de ferramentas e seu vizinho escolheu um alicate, uma chave de fenda, um martelo e uma talhadeira. Pagou e foi embora. E nosso amigo guardou as palavras que escutara: 'não disponho de tempo para viajar para fazer compras'.
Se isto fosse certo, muita gente poderia necessitar que ele viajasse para trazer as ferramentas. Na viagem seguinte, arriscou um pouco mais de dinheiro trazendo mais ferramentas do que as que havia vendido.
De fato, poderia economizar algum tempo em viagens. A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viagem, faziam encomendas. Agora, como vendedor de ferramentas, uma vez por semana viajava e trazia o que precisavam seus clientes. Com o tempo, alugou um galpão para estocar as ferramentas e alguns meses depois, comprou uma vitrine e um balcão e transformou o galpão na primeira loja de ferragens do povoado.
Todos estavam contentes e compravam dele. Já não viajava, os fabricantes lhe enviavam seus pedidos. Ele era um bom cliente. Com o tempo, as pessoas dos povoados vizinhos preferiam comprar na sua loja de ferragens, do que gastar dias em viagens.
Um dia ele lembrou de um amigo seu que era torneiro e ferreiro e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos. E logo, por que não, as chaves de fendas, os alicates, as talhadeiras, etc..
E após foram os pregos e os parafusos... Em poucos anos, nosso amigo se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas..
Um dia decidiu doar uma escola ao povoado. Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam algum ofício. No dia da inauguração da escola, o prefeito lhe entregou as chaves da cidade, o abraçou e lhe disse:
-É com grande orgulho e gratidão que lhe pedimos que nos conceda a honra de colocar a sua assinatura na primeira página do Livro de atas desta nova escola.
- A honra seria minha - disse o homem. Seria a coisa que mais me daria prazer, assinar o Livro, mas eu não sei ler nem escrever, sou analfabeto.
-O Senhor?!?! - disse o prefeito sem acreditar. O Senhor construiu um império industrial sem saber ler nem escrever? Estou abismado. Eu pergunto:
- O que teria sido do Senhor se soubesse ler e escrever?
- Isso eu posso responder - disse o homem com calma. Se eu soubesse ler e escrever... ainda seria o PORTEIRO DO PROSTÍBULO!!!
Geralmente as mudanças são vistas como adversidades. As adversidades podem ser bênçãos. As crises estão cheias de oportunidades. Se alguém lhe bloquear a porta, não gaste energia com o confronto, procure as janelas.
Lembre-se da sabedoria da água: 'A água nunca discute com seus obstáculos, mas os contorna.'
Que a sua vida seja cheia de vitórias, não importa se são grandes ou pequenas, o importante é comemorar cada uma delas. Não há comparações entre o que se perde por fracassar e o que se perde por não tentar.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Creia tenha Esperança


Não se agrada a Deus pelo simples fato de estar na igreja. Há pessoas que vão a igreja, e ao saírem, dizem: "-Tchau, Jesus. Domingo que vem eu volto..." A única forma de agradar a Deus é agindo a nossa fé. Abraão agradou a Deus quando se colocou, pela fé, a sua disposição. (Gn. 12:1,2). Abraão já tinha 75 anos, e esperou mais 25 para ver a promessa se cumprir! Em nenhum momento Abraão duvidou. Abraão lutava contra as esperanças!!!
Você sabe o que é lutar contra as esperanças? É você estar em uma situação crítica, nada a seu favor, e você toma uma atitude de fé, passando a lutar contra tudo o que vem pela frente. Dúvidas, medo, desespero, diagnósticos, etc. Abraão creu contra a esperança: "O qual, em esperança, creu contra a esperança que seria feito pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência". Rm. 4:18.
Muitas pessoas se sentem acusadas pela situação: "- Você não tem mais jeito..." "-iiiiihhhh, você está perdido!!!" "-Rapaz, o que você fez?! Agora já era!!!" Só palavras de derrota. Só desesperanças! Você não encontra apoio, e não vê onde segurar. Daí, você só tem duas opções: Ou você parte pra cima desse problema de frente, ou então se rende a isso, e essa pressão do diabo lhe engole. Essa cobrança da vida passa por cima de você como um trator, e você passa a ser mais um dos muitos fracassados que temos visto por aí.
Você pode estar no mais profundo abismo, porém você deve crer e agir a sua fé. "E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração". (Jeremias 29:13). Você sabia que as vitórias particulares nos levam as vitórias públicas de maior vulto? Um dos meios mais menosprezados de se formar a confiança de Deus em nós, é ser fiel em pequenas causas. Aquelas que ninguém tá vendo, ninguém tá sabendo. Aquelas que você acha que pelo fato de não causar escândalo, Deus não vai te cobrar! "Porque o que eles fazem em oculto, até dizê-lo é torpe". Efésios 5:12.
A vitória do cristão é completa. O cristão não empata, vence!!! O Senhor nos abençoou com todas as bênçãos celestiais em Cristo Jesus. Todo cofre tem uma senha. Deus quer te dar uma senha. Só entre você e Ele. Ele vai ouvir só você, e mais ninguém. Ele vai te atender na sua individualidade. Deus não atende os seus filhos no atacado! Ele ouve um por um. Ele sabe de cada pedido que subiu ao seu trono. O meu pedido, o seu pedido...todos! Ele ouve a cada um de nós. Igualzinho. Sem diferenças!
"Porque para com Deus não há acepção de pessoas".(Romanos 2.11)

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

MINHA ALEGRIA:MEU NOME NO LIVRO DA VIDA

“...não vos alegreis porque se vos submetem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus”. Lucas 10.20
Cristo, em sua declaração, fez-nos abrir os olhos para termos nosso nome escrito no livro de Deus.
Já pensou bem no privilégio de ter o nome inscrito no céu, no livro da vida?
Não há nada que se possa comparar a essa maravilhosa bênção e, no entanto, para efeito, não precisámos de pagar qualquer preço, nem de fazer quaisquer gastos ou sacrifícios!...
Foi suficiente a nossa fé, mesmo a mais pequenina que um grão de mostarda, posta no precioso Nome de Jesus, o Unigénito de Deus e o Único Salvador do mundo.
Os discípulos de Jesus estavam muito felizes e alegres porque, pelo poder que lhes tinha sido concedido, eles viam os enfermos curados, os endemoninhados livres, os demónios sujeitados, etc.. Jesus faz-lhes sentir que isso não era nada em comparação com o terem o seu nome escrito no céu. Não há nada que se compare à bênção da salvação.
Só para quem tem o nome escrito no livro da vida!
“Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados.” 1 Coríntios 15:51,52
“Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.” 1 Tessalonicenses 4:16,17
Graças a Deus por sua Graça em nossa vida!
A Graça de Deus é mais teimosa que nossa teimosia.
Pr.Alex Rabello

Pr.Alex Rabello

http://youtu.be/aZ1YEBdBSSI

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Você já ouviu falar desse grupo Desigrejados?



O que eles defendem?
1-Cristo não deixou qualquer forma de igreja organizada e intitucional.
2-Nos primeiros séculos os cristãos afastaram-se dos ensinos de Jesus organizando-se em instituição, a Igreja, criando estruturas, inventando hierarquias para substituir os carismas.
3-Mesmo com a Reforma, os cristãos continuaram a cometer os mesmos erros ao criar denominações.
4-A verdadeira igreja não tem templos, cultos regulares aos domingos, tesouraria, hierarquia, oficios, ofertas, clero, confissão de fé etc.
Enfim, muito embora eles tenham razão em alguns pontos, é bom lembrarmos, que Jesus teve apenas três anos e seis meses para desenvolver o Seu Ministério, e não estava preocupado, ou tinha tempo para pensar na Igreja Organizada, e sim, em expandir ao máximo o Reino de Deus. Fato é que, os irmãos já se reuniam nas casas e nas margens dos rios para celebrar a Jesus. Com a vinda do Apóstolo Paulo, Igrejas foram organizadas, partindo de Jerusalém, chegando a Europa e Ásia.
Parece-nos que a revolta dos “desigrejados” não é contra a Instituição Igreja, mas sim contra qualquer coisa que imponha limites ou restrições à sua maneira de pensar e agir. Talvez, sem Igreja, fiquem livres para pensar da forma que quiserem, crerem no que quiserem, sendo livres pensadores sem conclusões definidas, fazerem o que quiserem, para poder experimentar de tudo na vida sem penalizações e correções.
Jesus deixou claro aos discípulos que sua igreja seria edificada sobre a declaração de Pedro, que Ele era o Cristo, o Filho do Deus vivo (Mt 16.15-19). Tudo o que se desvia dessa verdade que a divindade é exclusividade da Pessoa de Jesus, não é Igreja cristã.
Quando Jesus fala sobre a videira; sobre a relação entre a cabeça e o corpo (Ef. 1.22-23); e entre o edifício e a pedra sobre o qual ele se assenta (1 Pe 2.4-8); marido e mulher; Igreja e noiva etc. está falando sobre instituição, comunhão, compartilhamento, empatia, altruísmo etc.
Jesus ordenou, também, que seus discípulos se reunissem regularmente para repartir o pão e o vinho.
No final, a conclusão que chegamos nesse breve artigo é que os “desigrejados” não são contra a Igreja organizada meramente porque desejam uma forma mais pura de cristianísmo, mais próxima da forma original, pois esta forma original já nasceu organizada e estruturada, nos Evangelhos e no restante do Novo Testamento.
O que realmente eles querem é “liberdade” para acreditar no que quiserem, viver do jeito que quiserem e acham correto, guardando mágoas, rancores de pessoas que lhes fizeram algo, dentro da Instituição.
Venha fazer parte da nossa FAMÍLIA FELIZ
EM PIRITUBA SÃO PAULO
ENDEREÇO; rua Serra Negra N.02.
Conj.Habitacional turistico em frente a praça
REUNIÕES:
QUARTA 19;30.ESTUDO BIBLICO.
SEXTA AS 19;30. CAMPANHA DE ORAÇÃO E LOUVOR E ADORAÇÃO.
2-SÁBADO AS 19;30 REUNIÃO COM OS ADOLECENTES.
TODO 3-SÁBADO 19;30.REUNIÃO DA CEIA DO SENHOR.
4-SÁBADO 19;30.REUNIÃO COM AS IRMÃS.
DOMINGO 19;00.REUNIÃO DA FAMILIA CRISTO SALVA.
Pr. Alex Rabello.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

VENCENDO A SOLIDÃO

Todos nós estamos sujeitos à solidão, e a Bíblia nos mostra a resposta de Deus a este problema. Muitas são as causas que provocam a solidão. Uma pode ser a perda de uma pessoa querida. Outra pode ser a mudança de um ambiente familiar e agradável para outro onde a pessoa é desconhecida e se sente desambientada. Também pode acontecer que uma pessoa seja abandonada pelo seu grupo de amigos.
Seja qual for a causa da solidão, saiba que Deus está interessado em nós.
A solidão não é simplesmente conseqüência da ausência de pessoas, porque a multidão muitas vezes é o lugar mais solitário. Vocês que viajaram, sabem disso. Você está cercado de pessoas, mas sente a tristeza da solidão. Isto acontece porque a solidão não depende do número de pessoas que estão com você em determinado lugar, mas do relacionamento que você tem com estas pessoas.
Encontramos na Bíblia a história de pessoas que experimentaram a solidão, mas que encontraram a solução para este problema.
O profeta Elias é uma destas pessoas. Em seu tempo, a rainha Jezabel tinha introduzido deuses pagãos na vida religiosa de Israel, que foram aceitos pelo povo. Para agradar sua mulher Jezabel, o rei Acabe deu-lhe autoridade sobre assuntos religiosos, e mandou construir ídolos e templos aos deuses dela.
E por causa da pregação de Elias, Jezabel decidiu matá-lo. Então, Elias fugiu para o deserto e se escondeu em uma caverna. "E lhe veio a palavra do Senhor dizendo: Que fazes aqui Elias?" (1 Reis 19:9).
A sua solidão era real, palpável, pois ele se sentia triste, desanimado e derrotado por não ter absolutamente ninguém ao seu lado. Foi então que Deus começou a resolver o problema de Elias.
A primeira providência que tomou foi Ele próprio revelar-se ao profeta. Elias tinha que aprender a lição de que um homem que conhece ao Senhor nunca está só, pois Deus prometeu ser um auxílio bem presente na angústia. E na escuridão e na solidão da caverna Deus estava lá. Deus estava se revelando a Elias naquela solidão, mas ele estava tão desconsolado que parecia ter perdido a capacidade de buscar a Deus através da oração. Ele estava enfraquecido pela solidão e pelo desespero. Então, Deus veio em seu auxílio e lhe revelou a sua presença.
A consciência da presença de Deus em nossos corações é o primeiro passo para vencermos a solidão. Este princípio é ilustrado na Bíblia em diversas ocasiões. Em Deuteronômio 31:6-8, encontramos Moisés falando a Josué. Estava se aproximando a hora da morte de Moisés e Josué tinha sido escolhido para assumir o comando do povo de Israel. Então Moisés lhe disse: "Esforça-te e anima-te, pois com este povo entrarás na terra que o Senhor jurou a teus pais lhe daria, e tu os farás herdá-lo. O Senhor é que vai adiante de ti; Ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará. Não temas; não te espantes." (Dt 31:7-8).
Repare que, por duas vezes, vemos a promessa de que Deus não vai desamparar Josué. Moisés tinha avisado Josué sobre a sua morte; era natural que o sentimento de solidão se abatesse sobre Josué. Nas Moisés tranqüilizou Josué: "O Senhor será contigo, não te deixará, nem te desamparará." O sentimento de solidão podia ser dissipado com a promessa que Deus não o deixaria só.
O segundo passo para vencermos a solidão é a atividade espiritual. Voltemos ao profeta Elias. "Disse-lhe o Senhor: vai, volta pelo caminho para o deserto de Damasco. Quando lá chegares, unge a Hazael rei sobre a Síria." Nos versículos 16 a 18, Deus determina a Elias uma tarefa e o adverte em não ficar escondido na caverna. Ele deve empenhar-se na realização do trabalho que lhe foi determinado.
Quando estamos ocupados realizando a vontade Deus, podemos sentir sua presença e sua aprovação bem dentro de nós. Ociosidade não é a vontade de Deus para o homem.
Há um terceiro passo no versículo 18: "Também conservei em Israel 7.000 – todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda boca que não o beijou." Elias sentia-se sozinho porque julgava ser o único que amava a Deus. Mas Deus lhe disse que saísse e fosse se ajuntar a outros que também amavam a Deus, o mesmo Deus a quem ele amava. Quando encontrasse outros com a mesma fé e o mesmo amor, haveria uma aproximação e uma comunhão que iria dissipar a solidão que ele havia sofrido enquanto estava sozinho na caverna.
Muitos se entregam à solidão porque não querem empregar seu tempo nem se dar ao trabalho de encontrar uma oportunidade de comunhão com aqueles que compartilham da fé e do amor de Deus. Este é o terceiro passo para vencer a solidão: Manter comunhão com os que amam o Senhor.
Conclusão:
A maioria dos conselhos populares e de orientação técnica para a cura da solidão começa dizendo que a pessoa deve se ocupar com alguma coisa, deve andar sempre com as mãos ocupadas. Mas isto é atacar o problema partindo de uma premissa completamente errada. Deus não mandou que Elias primeiro ficasse ocupado e depois encontrasse alguns amigos. Deus começou revelando a sua presença. Qualquer atividade ou amizade que você estabeleça sem considerar a presença pessoal de Cristo na sua vida, nunca poderá satisfazer sua necessidade.
A resposta de Deus ao problema da solidão é compreender e aceitar a verdade maravilhosa e abençoada de que Deus o Pai, Deus o Filho e Deus o Espírito Santo moram nos filhos de Deus. E assim Deus está pessoalmente presente. E onde Deus está, não há motivo para solidão.
Deus tem um trabalho determinado para cada um de nós e quando nos ocupamos em executá-lo sentimo-nos libertos da solidão.
Finalmente, através da comunhão com aqueles que professam o amor e a fé em Deus, nos libertamos da solidão.
Quando tentado a escondermos em nossas cavernas, como Elias, que possamos experimentar a presença real de Deus em nossas vidas. Deus está no teu coração. Você não está só.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

BUSQUE EQUILÍBRIO

Havia um poderoso monarca que embora satisfeito com o seu reino, vivia preocupado sobre a forma de governo que deveria dar ao seu povo.
Chamou um velho sábio e lhe expôs:
- Sábio, orienta-me! Devo ser severo ao meu povo para que tenha mais respeito e afaste qualquer possibilidade de revolta ou devo ser benevolente para obter o carinho dos meus súditos fazendo-lhes, então, as vontades?
Ajuda-me!
O bom sábio pensou um pouco e perguntou-lhe:
- O que mais aprecias dentre teus objetos pessoais?
Não entendendo a pergunta, o monarca respondeu-lhe mesmo assim, o que mais amo são dois vasos de porcelana que adquiri com muito esforço.
- Traze-os a mim !
Ainda não entendendo o que o sábio queria com este pedido, ordenou a dois lacaios que trouxessem os vasos.
Vendo os dois vasos, o sábio pediu:
- Traz água fervente e água gelada!
O monarca entendia cada vez menos. O sábio por sua vez, ordenou:
- Coloca a água fervente em um vaso e a gelada em outro!
O monarca assustado, impôs a voz aos berros:
- LOUCO!!! Não vês que a água fervente fará em pedaços um vaso e a gelada trincará o outro?
- Exatamente, - disse o sábio - assim será teu governo pois se usares de autoridade severa ou de benevolência excessiva, não serás um bom monarca.
Entretanto se souberes dosar os dois, terás teu nome gravado para sempre no coração dos teus súditos!
Tendo terminado de falar, o sábio pediu aos lacaios que misturassem a água fervente com a gelada. Assim, obteve a morna que ao ser colocada nos vasos nada fez que os danificassem.
Aí está mais um belo exemplo de que o EQUILÍBRIO é fundamental em nossas vidas!
Pr.Alex Rabello

terça-feira, 18 de outubro de 2011

TORRADAS QUEIMADAS

Quando eu ainda era um menino, ocasionalmente, minha mãe gostava de fazer um
lanche, tipo café da manhã, na hora do jantar.
E eu me lembro especialmente de uma noite, quando ela fez um lanche desses,
depois de um dia de trabalho, muito duro.
Naquela noite, minha mãe pôs um prato de ovos, linguiça e torradas bastante
queimadas, defronte ao meu pai.
Eu me lembro de ter esperado um pouco, para ver se alguém notava o fato.
Tudo o que meu pai fez, foi pegar a sua torrada, sorrir para minha mãe e me
perguntar como tinha sido o meu dia, na escola.
Eu não me lembro do que respondi, mas me lembro de ter olhado para ele
lambuzando a torrada com manteiga e geléia e engolindo cada bocado.
Quando eu deixei a mesa naquela noite, ouvi minha mãe se desculpando por
haver queimado a torrada.
E eu nunca esquecerei o que ele disse: " - Adorei a torrada queimada..."
Mais tarde, naquela noite, quando fui dar um beijo de boa noite em meu pai,
eu lhe perguntei se ele tinha realmente gostado da torrada queimada.
Ele me envolveu em seus braços e me disse:
" - Companheiro, sua mãe teve um dia de trabalho muito pesado e estava
realmente cansada... Além disso, uma torrada queimada não faz mal a ninguém.
A vida é cheia de imperfeições e as pessoas não são perfeitas. E eu também
não sou o melhor marido, empregado, ou cozinheiro, talvez nem o melhor pai,
mesmo que tente todos os dias!"
O que tenho aprendido através dos anos é que saber aceitar as falhas
alheias, escolhendo relevar as diferenças entre uns e outros, é uma das
chaves mais importantes para criar relacionamentos saudáveis e duradouros.
Desde que eu e sua mãe nos unimos, aprendemos, os dois, a suprir um as
falhas do outro. Eu sei cozinhar muito pouco, mas aprendi a deixar uma
panela de alumínio brilhando. Ela não sabe usar a furadeira, mas após minhas
reformas, ela faz tudo ficar cheiroso, de tão limpo. Eu não sei fazer uma
lasanha como ela, mas ela não sabe assar uma carne como eu. Eu nunca soube
fazer você dormir, mas comigo você tomava banho rápido, sem reclamar.
A soma de nós dois monta o mundo que você recebeu e que te apoia, eu e ela
nos completamos. Nossa família deve aproveitar este nosso universo enquanto
temos os dois presentes.
Não que mais tarde, o dia que um partir, este Mundo vá desmoronar, não vai.
Novamente teremos que aprender e nos adaptar para fazer o melhor.
De fato, poderíamos estender esta lição para qualquer tipo de
relacionamento: entre marido e mulher, pais e filhos, irmãos, colegas e com
amigos. Então filho, se esforce para ser sempre tolerante, principalmente
com quem dedica o precioso tempo da vida, à você e ao próximo.
"As pessoas sempre se esquecerão do que você lhes fez, ou do que lhes disse.
Mas nunca esquecerão o modo pelo qual você as fez se sentir."
Pensem nisso.... Será que estamos saboreando a torrada, mesmo que queimadas, ou reclamando delas... ???

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Só para esclarecimento.

Quem começou a fazer apelos nos cultos?

Muitas pessoas consideram Charles Grandison Finney (1792-1875) o “pai do apelo”. Ordenado ministro presbiteriano em 1823, Finney começou a fazer os convites públicos muito tempo depois de os metodistas já terem feito desse método parte regular de seus encontros campais. Finney, entretanto, fez mais que qualquer outro para estabelecer os apelos como uma prática aceitável e popular no evangelismo americano. Ele normalmente chamava os pecadores ansiosos até a frente da congregação para se sentarem no “banco dos ansiosos”. Ali, eles recebiam oração e geralmente ouviam um sermão individual. O apelo também foi uma das famosas “novas medidas” de Finney. Ele estava convencido de que os pastores poderiam produzir avivamento usando os métodos corretos e que, chamar pecadores arrependidos à frente “era necessário para tirar [os pecadores] do meio da massa de ímpios para levá-los a uma renúncia pública de seus caminhos pecaminosos”.Não sou contra o apelo, mas sugiro que troquemos o nome para convite para expressar a fé publicamente. Porém que se diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé que pregamos. Se, com a tua boca, confessares a Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa a respeito da salvação" (Romanos 10:8-10). Esta é uma passagem bem conhecida que fala sobre salvação. Mas observe a confissão do eunuco etíope, feita antes de seu batismo pela água em Cristo. "Filipe respondeu: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus" (Atos 8:37). Freqüentemente comparamos as duas passagens, sugerindo que a confissão do eunuco e a confissão que Paulo está discutindo são a mesma. Mas observe que há uma diferença. O eunuco confessou Jesus como o Cristo e como o Filho de Deus. Paulo discute confessar Jesus como Senhor. Eis aí uma diferença.Confessar Jesus como o "Cristo" significa que proclamamos que cremos que ele é o ungido de quem os profetas do Velho Testamento tinham profetizado. A palavra "Cristo" é a tradução grega da palavra hebraica "Messias". O eunuco estava dizendo que ele cria que Jesus era o cumprimento da profecia de Isaías. Isto significa que Jesus era aquele apontado por Deus para assumir o ofício real, sacerdotal, do Messias prometido. É necessário crer e querer confessar esta crença. Mas não é a mesma coisa que confessar Jesus como Senhor. Por exemplo, quando Pedro proclamou no Dia de Pentecostes que "... este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo" (Atos 2:36), ele estava dizendo que Deus fez de Jesus duas coisas diferentes: Senhor e Cristo.
JESUS NOS AMOU PRIMEIRO!!!


"Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro." 1 João 4:19
Deus nos amou primeiro, não é só o primeiro a amar mas também o único amor verdadeiro que existe. Se quem ama é de Deus é porque este amor não é um amor humano, uma simpatia, uma acção humana, um sentimento humano. Este amor não é nosso de origem, este amor procede de Deus. Se entendermos toda a largura, altura e comprimento desse amor, sabemos que somos devedores porque temos algo em nós que não é de nossa procedência, não são trapos de imundicia, mas vestes esplêndidas e alvas vindas do céu para um povo que Deus amou primeiro!
No planeta não existe luz, a não ser aquela que vem do sol; e no coração não existe amor verdadeiro por Jesus, a não ser aquele que vem do próprio Senhor Jesus. Todo nosso amor por Deus precisa brotar da fonte transbordante do Seu infinitivo amor. Esta deve sempre ser uma verdade clara e sublime: que nós O amamos por nenhuma outra razão além da que Ele nos amou primeiro. Nosso amor por Ele é a “conseqüência justa” de Seu amor por nós. Quando alguém estuda os feitos de Deus pode sentir uma fria admiração, no entanto, o calor do amor só pode arder no coração pelo Espírito de Deus. Que grande maravilha que, dessa forma, sempre seremos absolutamente constrangidos a amar Jesus! Que maravilha que, depois de termos nos rebelado contra Ele, ao revelar esse amor surpreendente, Ele procurasse nos receber de volta. Não! Jamais teríamos um grão de amor por Deus a menos que isso tivesse sido implantado em nós pela delicada semente de Seu amor. O amor, então, tem como pai o amor de Deus derramado no coração: mas, depois de nascer divinamente, ele precisa ser divinamente nutrido. O amor é exótico; não é uma planta que florescerá naturalmente em solo humano, ele precisa ser regado de cima. O amor a Jesus é uma flor de natureza delicada, e se ele não recebesse nenhuma nutrição, exceto aquela que pode ser extraída da rocha de nossos corações, ele rapidamente murcharia. Assim como o amor vem do céu, assim também precisa ser alimentado com pão celestial. Ele não pode subsistir no deserto a menos que seja alimentado pelo maná que vem de cima. Amor precisa ser alimentado com amor. O genuíno espírito e a genuína vida de nosso amor por Deus é Seu amor por nós.

domingo, 16 de outubro de 2011

Lutar ou Fugir????


A resposta "lutar ou fugir" é uma reação instintiva acionada quando uma pessoa enfrenta perigo. Vem uma explosão de adrenalina enquanto o coração bate mais rápido, capacitando a pessoa a ficar firme e lutar ou a virar as costas e correr. Independente da decisão instantânea, seja lutar ou fugir, o resultado desejado é a sobrevivência.
Esta reação é dada para a nossa segurança física. E como fica a segurança espiritual? Através da Bíblia, Deus mostra ocasiões em que se deve ficar firme e lutar, e outras situações em que se deve sair correndo o mais rápido possível.
A luta. Paulo disse para Timóteo: "Combate o bom combate da fé" (1 Timóteo 6:12; 1:18). A batalha de Paulo, porém, não foi com espadas e lanças. Ele lutou contra "muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição" (
1 Timóteo 6:9). Esta é uma batalha mental e espiritual. A chave para vencer esta guerra é controlar todos os desejos, pensamentos e atos.
A fuga. Quando é a hora de fugir? Cada um tem suas próprias fraquezas. Deve-se fugir das situações que conduzem às tentações nas áreas mais vulneráveis na própria vida. Paulo disse a Timóteo: "Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor" (2 Timóteo 2:22). Em tais situações, deve se salvar e, às vezes, salvar a própria família da maldade, da mesma maneira que Ló escapou de Sodoma. Infelizmente, ele não fugiu a tempo para salvar sua mulher, que olhou para trás com saudades da cidade, a cidade perversa e corrupta, e perdeu a sua vida.
Essa é uma guerra para a sobrevivência espiritual. É uma batalha em que não há desgraça em fugir do adversário. Porém, devemos ser leais ao vencedor. Este é o fato maravilhoso sobre esta guerra: ela já foi vencida!

sábado, 15 de outubro de 2011

Ansiedade

"Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós." (1 Pedro 5:7)
A ansiedade pode ser definida como um sentimento íntimo de apreensão, mal estar, preocupação, angústia ou medo acompanhado de um despertar físico intenso. Ela pode surgir como uma reação a um perigo específico passível de identificação, ou em resposta a um perigo imaginário com a expressão angústia vaga, flutuante". A pessoa sente que alguma coisa terrível vai acontecer, mas não sabe o que é nem porque.
Vários são os tipos de ansiedades identificáveis, podendo ser aguda e crônica, normal e neurótica, moderada e intensa.
A ansiedade aguda surge repentinamente, é de grande intensidade e de pequena duração, já a ansiedade crônica é persistente e duradoura, mas tem menor intensidade.
A ansiedade normal se manifesta quando existe uma ameaça real ou situação de perigo, já a neurótica envolve sentimentos intensamente exagerados de desespero e medo, mesmo quando o perigo é pequeno. Quanto a intensidade a ansiedade pode ser moderada ou intensa.
A moderada é até desejável que se tenha, pois motiva e ajuda as pessoas a evitarem situações perigosas aumentando a eficiência das pessoas, já a ansiedade intensa pode diminuir nossos períodos de atenção, dificultando a concentração e afetando a memória de modo negativo, prejudicando a capacidade de realização, interferindo na capacidade de solucionar problemas, bloqueando a comunicação eficaz, despertando o sentimento de pânico e as vezes causando sentimentos físicos indesejáveis.
Conclusão:

Filipenses 4:6 - Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas diante de Deus as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça.
Pr.A lex Rabello

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

PARTICIPE ATIVAMENTE DE SUA IGREJA E AJUDE SEU PASTOR ELE PRECISA DE SUA AJUDA.


Hebreus, capítulo 10, versos 24 e 25, lemos
"E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns"
A participação na igreja é um assunto delicado que preocupa muitos os pastores, e não sou diferente. Não consigo compreender por que alguns cristãos insistem em enganar a si mesmos, negando-se esse privilégio básico
Se você participa regularmente e coopera com sua igreja, isso realmente é maravilhoso — continue fazendo o bom trabalho! Mas se você somente vai ocasionalmente, ou nunca vai — permita-me apresentar algumas reflexões para você meditar. Para começar, quero discutir 2 grupos de pessoas que constituem uma congregação típica.
Primeiro grupo de pessoas que afirmam não serem cristãs vão à igreja. Eu sinceramente espero que elas continuem a fazer isso e venham a conhecer Jesus Cristo como Salvador pessoal. No entanto, para essas caras pessoas, preciso deixar claro que a ida à igreja de modo algum "compra" qualquer coisa diante de Deus. Não existe um sistema de pontuação e Deus não fica marcando quantos pontos você acumulou. Para ser parte da família de Deus, você precisa nascer nela, precisa passar pela experiência do Novo Nascimento em Cristo. Portanto, exorto-o a ir para nossa Página da Salvação para saber o que precisa fazer para ser salvo.

E tem o segundo grupo formado pelos santos verdadeiros. Eles conhecem a Cristo como seu Salvador e Senhor de suas vidas, mas mesmo assim não comparecem à igreja regularmente. Suas desculpas são inúmeras e eu já usei a maioria delas. Este sermão é direcionado especialmente a essas pessoas. Quero que todos vocês, irmãos e irmãs, que estão neste grupo, saibam que eu os amo, mas é minha obrigação adverti-los que estão prejudicando a si mesmos e às suas famílias. E não somente isso, mas sua inatividade está privando a igreja da sua presença, da sua influência e de sua cooperação. Talvez você não saiba disso, mas quando foi salvo, Deus o capacitou com pelo menos um dom espiritual — uma capacidade ou talento sobrenatural que Ele quer que você use para honra e glória de Jesus Cristo. Embora esses dons não sejam de modo algum restritos a "uso somente na igreja", a experiência ensina que eles são complementares — isto é, são muito mais eficientes quando utilizados em conjunto com os dons dos demais membros da igreja.
Para ilustrar esse princípio, gosto de usar a analogia dos pedaços de carvão, que fazem uma grande fogueira quando estão amontoados uns sobre os outros. No entanto, se você separar os pedaços de carvão e espalhá-los no chão, a capacidade total de aquecimento deles fica grandemente reduzida. Quando você se afasta da congregação, está privando a igreja dos seus dons e sua ausência faz falta aos demais! Nunca aceite a idéia que você não é importante e que não faz falta, pois isso não é verdade. Nem todo mundo pode cantar no coral, ou servir como introdutor, ou ser um professor da Escola Dominical, ou seja lá o que for — mas todos podem e devem ocupar seus lugares nos bancos! Quando você deixa sua congregação, não se engane, o pastor sente sua falta. Peço às mulheres que considerem isto: imagine que você passe toda a semana planejando um almoço especial, compre todos os ingredientes, cozinhe, arrume e ponha a comida na mesa, e depois ninguém apareça para comer! Você ficaria bastante decepcionada, não ficaria? Imagine como seu pastor se sente quando basicamente a mesma coisa acontece com ele! Ele passa a semana preparando um sermão baseado na Palavra de Deus, para alimentar seu rebanho no domingo, e então vários membros da família não comparecem, demonstrando que não estão com fome. Finalmente, você já considerou o dano espiritual que está causando a si mesmo e a seus filhos ao deixar de receber o alimento?
Isso me faz lembrar uma calorosa discussão entre um homem e sua mulher. O homem diz: "— Nunca mais vou voltar àquela igreja; as pessoas lá são muito frias e me tratam como se eu fosse um leproso." A mulher retruca: "— Mas, querido, você precisa voltar. Você é o pastor!". Embora isto seja engraçado, os pregadores também são seres humanos, com sentimentos como todos os demais. Estamos plenamente conscientes de nossas limitações. Enfadar minha congregação é algo que realmente me preocupa, mas meu trabalho é pregar a Palavra, não entreter o público. Algumas vezes, a tentação de fazer isso é grande e quase não resisto. Mas, para ser fiel ao meu chamado, preciso enfatizar aquilo que é o mais importante. Você sabe onde está a "descrição do trabalho" de um pregador na Bíblia? Em 2 Timóteo 4, a partir do verso 1. Paulo está falando para seu "filho na fé":
Meu conselho é que aproxime-se mais do Senhor e dos seus irmãos em Cristo e depois trabalhe como nunca trabalhou antes, apoiando o pastor e sua igreja enquanto ainda há tempo.
Envolva-se e seja um cristão fiel,participando ativamente do ministério.
Pr.Alex Rabello

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

QUEM NÃO INFLUENCIA É INFLUENCIADO...
ESTAMOS JUNTOS,MAS NÃO MISTURADOS...




"Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Rm 12.2).
O rio Negro corre uma distância de centenas de quilômetros mantendo suas águas límpidas.
Alguns quilômetros depois de Manaus está a confluência com as águas barrentas do rio Solimões,
para formar o rio Amazonas. Durante muitos quilômetros as águas dos dois rios correm lado a lado
sem se misturar. Depois elas se misturam e tornam-se turvas.
As águas do rio Negro não limpam as águas barrentas do rio Solimões.
Mas estas turvam as águas límpidas do rio Negro.

Assim, a convivência de um cristão com relacionamentos achegados ao pecado certamente vai corromper a sua vida.
Trata-se de tudo o que fazemos e falamos que venha a contrariar os princípios da ética cristã apresentados no Novo Testamento.
É o que se chama de “mundanismo”.
O cristão precisa manter-se afastado do que é mundano, todos os dias, em todos os lugares e em todas as esferas da vida.
A vontade de Deus para com nossa vida diária deve ser examinada e aplicada cuidadosamente para não cairmos na esfera do engano.
A validade do que Deus quer não depende de nossa opinião.
Não somos nós que vamos estabelecer o que é certo e o que é errado.
A autoridade final está sempre com a Palavra de Deus.
Como diz nossa leitura de hoje:
“Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente,
para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus".

terça-feira, 11 de outubro de 2011

QUEM NÃO INFLUENCIA É INFLUENCIADO...
ESTAMOS JUNTOS,MAS NÃO MISTURADOS...



"Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Rm 12.2).
O rio Negro corre uma distância de centenas de quilômetros mantendo suas águas límpidas.
Alguns quilômetros depois de Manaus está a confluência com as águas barrentas do rio Solimões,
para formar o rio Amazonas. Durante muitos quilômetros as águas dos dois rios correm lado a lado
sem se misturar. Depois elas se misturam e tornam-se turvas.
As águas do rio Negro não limpam as águas barrentas do rio Solimões.
Mas estas turvam as águas límpidas do rio Negro.

Assim, a convivência de um cristão com relacionamentos achegados ao pecado certamente vai corromper a sua vida.
Trata-se de tudo o que fazemos e falamos que venha a contrariar os princípios da ética cristã apresentados no Novo Testamento.
É o que se chama de “mundanismo”.
O cristão precisa manter-se afastado do que é mundano, todos os dias, em todos os lugares e em todas as esferas da vida.
A vontade de Deus para com nossa vida diária deve ser examinada e aplicada cuidadosamente para não cairmos na esfera do engano.
A validade do que Deus quer não depende de nossa opinião.
Não somos nós que vamos estabelecer o que é certo e o que é errado.
A autoridade final está sempre com a Palavra de Deus.
Como diz nossa leitura de hoje:
“Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente,
para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus".
NÃO EXISTE AMIZADE SEM LEALDADE



A lealdade é parte de uma amizade genuína. A Bíblia diz em Provérbios 17:17 “O amigo ama em todo o tempo; e para a angústia nasce o irmão.”
O melhor amigo que podemos ter é Jesus. A Bíblia diz em João 15:15 “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer.”
Escolha amigos que amem ao Senhor e que tenham coraçôes puros. A Bíblia diz em 2 Timóteo 2:22 “Foge também das paixões da mocidade, e segue a justiça, a fé, o amor, a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.”
Que características necessita para ser um bom amigo? A Bíblia diz em Filipenses 2:3-4 “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo; não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros.”
Bisbilhotice pode destruir amizades. A Bíblia diz em Provérbios 16:28 “O homem perverso espalha contendas; e o difamador separa amigos íntimos.”
Vale a pena manter os nossos amigos. A Bíblia diz em Provérbios 27:9-10 “O óleo e o perfume alegram o coração; assim é o doce conselho do homem para o seu amigo. Não abandones o teu amigo, nem o amigo de teu pai; nem entres na casa de teu irmão no dia de tua adversidade. Mais vale um vizinho que está perto do que um irmão que está longe.”
Um amigo se preocupa conosco de tal forma que tem que ser honesto conosco mesmo que nos ofenda. A Bíblia diz em Provérbios 27:6 “Fiéis são as feridas d'um amigo; mas os beijos d'um inimigo são enganosos.”

sábado, 8 de outubro de 2011

SERVINDO A JESUS SEM COMPETIÇÃO.


”Também vi eu que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja que o homem tem do seu próximo. Também isso é vaidade e desejo vão” (Eclesiastes 4:4).
Perdemos grandes oportunidades e grandes bênçãos porque deixamo-nos distrair olhando para o lado e não para a frente. Preocupamo-nos com a vida alheia e deixamos de cuidar de nossa própria vida.
No trabalho queixamo-nos de pessoas que produzem menos do que nós, que têm menor capacidade ou que têm um salário maior que o nosso. Nos estudos murmuramos pela atenção demasiada que um professor dá a certo aluno e a indiferença com que nos trata. Na igreja questionamos a posição ocupada por algum irmão quando nos julgamos muito mais preparados do que ele.
Enquanto estivermos nos comparando a outras pessoas, jamais estaremos satisfeitos e nunca seremos felizes.Para cada comparação superada surgirão muitas outras a serem vencidas.
Viveremos em eterna competição. E de que servirá tudo isso?
De nada
Na casa de Deus há muitas moradas. Há lugar para todos - um lugar único e especial. Se acreditarmos profundamente que somos preciosos aos olhos de Deus, então seremos capazes de descobrir também a valia dos outros.
Grande é a seara e poucos sãos os trabalhadores.
Há espaço para todos na obra de Deus.
Pr.Alex Rabello

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

SONHE ATÉ ALCANÇAR SUAS METAS

No livro de Jeremias 29:11-12 nos diz o Senhor: ?Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais. Então, me invocareis, passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei?.
Sonhar é preciso. Sem sonhos começamos a morrer ou vivemos para cumprir os sonhos de outrem. No entanto, nas igrejas, muitos sonham alto mas não têm a mínima noção de como chegar ao sonho proposto no coração.
Defina claramente o que você quer mais que qualquer outra coisa na vida; registre os meios pelos quais você pretende consegui-lo e não permita que nada, seja lá o que for, o impeça de alcançar essa meta.
Ninguém sobrevive sem desafios novos e interessantes. Desde a infância somos movidos por desafios: aprender a falar, andar, escrever, etc…
Na vida temos de estabelecer metas para alcançarmos nossos sonhos. Caso contrário, nossos sonhos acabarão se tornando pesadelos, uma vez que os sonhos não se realizam sem trabalho e esforço. Todo esforço e trabalho sem etapas mensuráveis não produzem os efeitos desejáveis. As metas podem produzir uma atmosfera propícia para suportarmos a espera de uma conquista.
Na vida, de um modo em geral, só conseguimos êxito quando alcançamos nossos alvos. Cada área da nossa vida tem de ser consolidada por metas alcançadas. Estabeleça suas metas na sua vida espiritual, familiar, material e pessoal e lute porque o seu sucesso depende de sua capacidade de perseguir as metas. Ouça o seu líder e seja fiel a ele. Não seja como Saul, que ignorou Samuel e fez as coisas do seu jeito.
Conclusão
O desejo de Deus é que aprendamos a colocar em prática o propósito maravilhoso que ele tem para as nossas vidas através de metas mensuráveis e não vivamos por aí fazendo as coisas de qualquer jeito, sem organização. Lute e descubra o que Deus tem pra você e estabeleça como você vai fazer cada coisa e quando vai fazer.
O estabelecimento de metas é fruto de uma disciplina permanente. Não há como você elaborá-las de uma vez por todas. Seja um visionarrio apaixonado, a ponto de tornar sua visão na missão da sua vida. Seja capaz de estabelecer metas bem definidas e trabalhar focalizado nelas em todo o tempo.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

AMA O TEU PRÓXIMO,COM VALORES VERDADEIROS

Qual é o valor do proximo? Qual é o valor dele no seu coração?
Quando Jesus disse:
Mc 12.28-3 resumindo que o segundo mandamento é semelhante ao primeiro. O
primeiro é amarás a Deus com tudo; e fala aqui de 4 todo: coração, alma, mente, forças. Com
todo o nosso ser, amar a Deus é o primeiro mandamento. E o segundo é semelhante: amar ao
próximo como a mim mesmo
Penso no valor do ser humano, além do mundo, além das aparências, talvez, numa utópica outra dimensão.
Quem sou eu para determinar qual é o real valor de meu porximo?
_ Sendo assim tão falho não teria o direito de dar um "suposto" valor a algo que diante de mim esta..
-O real valor real do meu proximo não esta naquilo que vejo ou no que entendo em meus conceitos..
*O real valor é aquele que não se pode expressar com pelas palvras..Mas Sim com atitudes de amor..
O proximo que convive com estímulos, aprende a ter autoconfiança.
O proximo que convive com o elogios, aprende a se valorizar.
O proximo que convive com a segurança, aprende a ter fé.
O proximo que convive com a aprovação, aprende a gostar de si mesma
O proximo que convive com aceitação e amizade, aprende a encontrar o mundo
Certa vez um Pastor muito preocupado com os problemas do mundo passava horas em seu escritorio, tentando encontrar meios de minorá-los.
Certo dia, seu filho de sete anos invadiu o seu escritorio decidido a ajudá-lo.
O cientista, nervoso pela interrupção, tentou fazer o filho brincar em outro lugar.
Vendo que seria impossível removê-lo, procurou algo que pudesse distrair a criança.
De repente, deparou-se com o mapa do mundo.
Estava ali o que procurava. Recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita adesiva, entregou ao filho dizendo:
- Você gosta de quebra-cabeça? Então vou lhe dar o mundo para consertar. Aqui está ele todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho! Mas faça tudo sozinho!
Pelos seus cálculos, a criança levaria dias para recompor o mapa.
Passadas algumas horas, ouviu o filho chamando-o calmamente.
A princípio, o pai não deu crédito às palavras do filho. Seria impossível na sua idade conseguir recompor um mapa que jamais havia visto.
Relutante, o cientista levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança.
Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares.
Como seria possível? Como o menino havia sido capaz?
- Você não sabia como era o mundo, meu filho, como conseguiu?
O menininho sorriu todo orgulhoso e de seu feito e justificou:
- Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel da revista para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando você me deu o mundo para consertar, eu tentei, mas não consegui. Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem que eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo!
É preciso que eu você e o ministéio enxerguem o valor do proximo e que Deus exije que nos amemos uns ao outros.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

"Um ministério de investimentos na vida de outros".


Era um homem comum, um homem do povo. Não era grande pregador e não realizou feitos fenomenais. Mas foi de importância fundamental para o estabelecimento e desenvolvimento do cristianismo porque ele aprendeu a investir na vida de outros.
Barnabé, também chamado de José da Consolação, era natural de Chipre e membro da igreja de Jerusalém. Vendeu suas terras para dar o dinheiro aos cristãos pobres da Judéia. Em Atos dos Apóstolos 4:37 lemos que “Barnabé tinha um campo e vendeu-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos Apóstolos”.
Barnabé, o Filho da Consolação, encoraja os outros pelo exemplo. Ele vai à frente a mostrar ao caminho. Este homem está preocupado com os Cristãos pobres de Jerusalém. E o que faz ele? Dá o exemplo. Vende a sua propriedade e dá o dinheiro para ser distribuído conforme as necessidades de cada um. Este é um encorajamento muito prático.
Devemos animar os outros a ter palavras doces falando palavras doces. Devemos motivar os outros a ter pensamentos puros tendo pensamentos puros.
A dependência do Espírito Santo, a suficiência em Deus, a entrega sem reservas e a decisão de servir, confiando na capacitação do Espírito, foram os pontos altos no ministério de quantos se destacaram na obra do Mestre.
Deus nos salvou para isto: dar testemunho da graça de Cristo, fortelecer a Igreja e ganhar almas para o reino de Deus. O que Ele espera de nós, é voluntariedade e desprendimento para o serviço. Como disse Pedro, “o Deus de toda a graça, que em Cristo
Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ELE MESMO VOS APERFEIÇOARÁ, CONFIRMARÁ, FORTIFICARÁ E FORTALECERÁ”, 1 Pe 5:10.

domingo, 2 de outubro de 2011

Aconteça o que acontecer seja companheiro!!!

Você parou para pensar no valor que há nas pessoas que estão ao seu lado?
Àquelas que estão no seu dia-a-dia e estão sempre prontas a lhe apoiar?
Talvez você não consiga tangibilizar o valor que elas tem para você,na sua vida,igreja e ministério, porque às vezes são apoios tão pequenos e freqüentes que se tornam até naturais, como se fosse parte da responsabilidade, mas na verdade não são.
Muitas vezes as pequenas coisas que as pessoas fazem, significam tudo para o seu dia ou simplesmente para você. É uma palavra, uma pergunta,uma oração ou uma gentileza que nos faz esquecer que o dia está “pesado” ou até torna o nosso dia melhor.
Quando alguém fizer algo por você,ainda que aos seus olhos seja pequeno valorize.
Porque a pessoa faz por que quer o teu bem e não porque é obrigada.
O companheirismo é isso. Você saber que pode contar com a outra pessoa e ela com você. Sempre. Como se fosse natural e sem ser forçado.
Somente quando as pessoas se conhecem e se respeitam, é que elas sabem valorizar os pequenos gestos que demonstram que ser companheiro é fazer parte do dia-a-dia e o que final o resultado é para todos.
Se vovçe tirar os olhos do seu egocentrismo verá mais as pessoas que lhe cercam, certamente vai identificar os verdadeiros companheiros em muitos que você nem imagina que sejam.
Paulo escreveu para Filemom (1.17) e disse:Assim, pois, se me tens por companheiro, recebe-o como a mim mesmo.
E Filemom perdoou a Onésimo,sabe porque?
Companheirismo sig:Aquele que participa ativamente da vida de outrem,que faz companhia,que está junto,que etá ligado um ao outro.
Você é companheiro???
Se não era passe a Ser
Pr.Alex rabello

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

PASTORES EMBUSTEIRO

Próximo ao ano 850 antes de Cristo, viveu na Síria um homem chamado Naamã. Ele era o comandante geral do exército do seu país, muito respeitado pelo rei e por seus soldados. Porém Naamã tinha uma doença muito grave: a lepra.
Um dia ele ficou sabendo que em Israel morava um homem de Deus, o profeta Elizeu, que poderia curá-lo. Ele pediu permissão ao seu rei, que, além de autorizá-lo a ir procurar o profeta, deu-lhe uma carta de apresentação para ser entregue ao rei de Israel, muitos quilos de prata e ouro, 10 mudas de roupas finas e soldados para garantir sua segurança na viagem.
Apesar de estar precisando de ajuda, Naamã era muito orgulhoso, por isso o profeta Elizeu nem o recebeu em sua casa e, para quebrar seu orgulho, ordenou que ele se lavasse sete vezes no Rio Jordão, que naquela ocasião estava barrento. Naamã resistiu, mas, por fim obedeceu. Assim que terminou de tomar os banhos que lhe foram ordenados, ele foi curado. Naamã ficou tão feliz que quis dar a Elizeu o ouro, a prata e as roupas finas que havia trazido, mas Elizeu recusou o presente. Naamã insistiu, mas Elizeu recusou novamente. Naamã agradeceu, pediu para levar um pouco de terra (para adorar a Deus sobre ela, em respeito e sinal de reconhecimento), louvou a Deus por ter sido curado e despediu-se do profeta.
Morava com Elizeu um aprendiz de profeta, o jovem Geazi. Ganancioso. Quando Naamã se tinha afastado certo distância, Geazi correu atrás dele, determinado a pegar o seu dinheiro. Ao ver o rapaz correndo atrás de sua caravana, Naamã parou e lhe perguntou se havia algum problema. Geazi respondeu: “Elizeu mandou-me aqui para lhe dizer o seguinte: Assim que você saiu, dois jovens profetas chegaram de viagem à minha casa. Dá-me tanto de prata e duas mudas de roupas finas para que eu possa ajudar estes dois rapazes.”
Naamã deu a Geazi o dobro da quantia de prata que ele lhe pediu e duas mudas de roupas finas e, ainda, ordenou que alguns de seus soldados o ajudassem a carregar. Quando eles chegaram perto da casa, Geazi dispensou os soldados e, sozinho, escondeu a mercadoria. Logo depois, Elizeu perguntou a Geazi aonde ele tinha ido. Geazi disse que não havia ido a lugar algum. Então, Elizeu lhe disse: “Eu sei o que você fez. Não era ocasião para pedir ou aceitar presentes. Já que você quis ficar com a prata de Naamã, fique também com sua lepra. E na tua família sempre haverá pessoas leprosas; para sempre. ”
E Geazi ficou leproso da cabeça aos pés. Confira esta história na Bíblia: II Reis, Capítulo 5.
Quais lições podemos tirar desta história impressionante?
1. Primeira: Existem muitas diferenças entre o verdadeiro e o falso profeta:
1.1 - Elizeu, o profeta verdadeiro:
a) Não pediu, nem aceitou qualquer tipo de pagamento, oferta ou presente, pelo fato de ter curado Naamã. Nem antes, nem depois.
b) Não misturava “Cura Divina” com dinheiro ou presentes.
c) Não se aproveitou da situação de Naamã. Jesus falou: “De graça recebeste, de graça dai.”
d) Não era ganancioso, nem materialista. Elizeu amava a Deus; não o dinheiro.
1.2 - Geazi, o profeta falso:
a) Era ganancioso, determinado, materialista. Usou o nome de Deus e o nome do profeta Elizeu para conseguir o que queria. Amava o dinheiro, o poder. Desejou e pediu o dinheiro e os presentes de Naamã.
b) Aproveitou-se da ocasião para enriquecer.
c) Mentiu. O falso profeta pede ou aceita dinheiro e presentes, mas mente em relação às suas verdadeiras intenções: ele sempre diz que o dinheiro ou os presentes não são para ele. Geazi inventou uma história para tirar o dinheiro de Naamã (disse que Elizeu precisava ajudar dois jovens profetas que estavam viajando). O falso profeta sempre inventa uma “causa nobre” que precisa ser ajudada. Esta “causa nobre” pode ser:
- Os pobres
“-Ajude-nos a alimentar e vestir os pobres”;
- Os desamparados
“Ajude-nos a sustentar creches, asilos, orfanatos, etc.”;
- O próximo
”-Ajude-nos a manter no ar nossos programas de rádio ou televisão;
desse jeito você fará com que outras pessoas também nos ouçam
e sejam abençoadas”;
- O reino de Deus
“-Não é para mim que você está dando; é para Deus”;
- Ou, até mesmo, a própria pessoa que dá o presente ou a oferta
“-Exercite a sua fé. Entregue para mim seus dízimos e ofertas,
que Deus vai lhe devolver em dobro.”.
Nem todos os que pedem dinheiro são trambiqueiros, é claro. Sempre haverá uma minoria honesta que aplica todo o dinheiro arrecadado naquilo para o quê pediram, mas a grande verdade é que a maioria irá descaradamente rechear suas carteiras, aumentar seu patrimônio e seu poder sobre seus ouvintes e sustentar seus estilos de vida e seus sonhos e manias de grandeza.
2. Segunda lição: Nada ficará encoberto
Jesus avisou que tudo o que os homens fizessem às escondidas seria anunciado sobre os telhados. Deus mostrou para Elizeu a sujeira de Geazi. De igual modo, Deus tem mostrado as sujeiras dos falsos profetas. A todo o momento aparecem novas denúncias nos “telhados do mundo”: nas rádios, televisão, internet, jornais e revistas, e nas conversas entre amigos e vizinhos.
Eles estão causando vergonha ao nome de Jesus, mas, eles mesmos serão envergonhados diante de Deus, seus anjos e de todos os seres humanos, no dia do Juízo Final. Em Mateus 7.22-23, Jesus diz: “Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.”
3. Terceira: Os falsos profetas já estão ou acabarão ficando doentes
Geazi ficou com o dinheiro de Naamã, mas ficou também com sua doença. Todos os falsos profetas já estão ou ficarão doentes. Eles perderam a essência do Cristianismo. Tornaram-se “mercenários da fé”. Alguns estão milionários, mas todos eles estão apodrecendo por dentro, . São materialistas, hipócritas e mentirosos e, é claro, sabem disso.
4. Quarta: Falsos profetas geram novos falsos profetas
Elizeu profetizou contra Geazi: ”na tua família sempre haverá pessoas leprosas; para sempre.” Acerca destas pessoas, a Bíblia afirma: “estão enganados e enganando a outros”. Profetas falsos, mentirosos, hipócritas, mercenários, produzirão outros iguais a ele mesmo.
5. Quinta: Os resultados do milagre na vida de uma pessoa
Quando um verdadeiro homem de Deus faz uma oração e uma pessoa é curada, esta pessoa passa a ser um seguidor de Jesus. Veja o exemplo de Naamã: após o milagre, ele passou a adorar a Deus.
Mas, quando um falso profeta ajuda uma pessoa, esta pessoa passa a ser seguidor do falso profeta, vira uma espécie de escravo, um fanático. Torna-se incapaz de ouvir qualquer crítica aos seus líderes. Quando a imprensa ou alguma pessoa faz uma denúncia, ele retruca e alega que seus líderes “estão sendo perseguidos por causa da sua fé”. Estão tão cegos com as mentiras dos falsos profetas que sequer percebem o quanto seus líderes estão corrompidos. É verdade: muitos deles estão sendo “perseguidos” pela mídia, pela polícia, pelo Fisco, pelos tribunais, mas não por causa da sua fé, mas por serem refinados vigaristas.
6. Sexta: Não dê dinheiro para as “causas nobres” dos falsos profetas
Apenas uma parcela mínima do que é arrecadado pelos falsos profetas é aplicado naquilo que eles dizem. Se você quer realmente ajudar as pessoas, vá pessoalmente aos asilos, aos projetos sociais, às creches, aos orfanatos, às casas de recuperação e afins e, verificando que o trabalho que está sendo feito naquele lugar é sério, ajude-os, não só com seu dinheiro, mas, também, se for possível, como voluntário.
Cuidado também com as promessas de ganho fácil (“Não tenha medo de dar, pois Deus vai devolver em dobro.”). Lembre-se: O peixe morre pela boca. Todos os vigaristas do mundo usam este mesmo golpe: eles fazem suas vítimas acreditarem que vão sair lucrando. Não gaste seu dinheiro naquilo que não é pão, não dê seu suado dinheiro para vigaristas.
Ninguém precisa comprar a benção de Deus. A história de Naamã deixa bem claro que não existe nenhuma ligação entre o dinheiro e a cura divina. Tudo o que Jesus fez e faz por nós é de graça. Ninguém precisa fazer votos, promessas ou sacrifícios para obter de Deus qualquer favor.
Deus é Pai, e concede Sua graça a todos os que crêem de todo o coração em Seu Filho Amado, o nosso Senhor Jesus Cristo.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

CUIDADO COM OS PSEUDOS PASTORES

Quais os interesses que levam alguém a optar pelo sagrado ministério?Não pode ser outro, mas sim a vocação divina. Pedro disse que ninguém pode ir para o ministério pastoral movido por qualquer tipo de constrangimento. À vocação divina se atende com espontaneidade, como fizeram os discípulos que, deixando seus trabalhos e familiares, responderam ao chamado de Jesus, Mt 4: 18-22.
os pastores sejam modelo para o rebanho. Essa foi a mesma preocupação que Paulo expressou para com Timóteo: "Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza." (1Tm 4: 12).
A palavra grega traduzida por "padrão" nesse versículo é "typos". Esse termo (tipo) está relacionado às artes gráficas. O tipo gráfico é um bloco de metal fundido ou de madeira que tem em uma de suas faces uma determinada gravação em relevo. Através da impressão são feitas tantas cópias quantas necessárias. Assim deve ser o pastor: um tipo. Seu caráter deve ser reproduzido no rebanho.
A dura verdade é que há uma crise de comportamento no mundo atual. Essa crise tem sérios reflexos na igreja. Mas quem não tem condições de ser modelo, padrão para o rebanho, também não deve exercer o pastorado.
O caráter íntegro e o amor incondicional ao Senhor são marcas daquele que atendeu à vocação divina. Paulo, em 1Tm 3: 1- 7, enumera as qualificações necessárias para quem aspira ao ministério.
É impossível ser pastor sem o fruto do Espírito na vida, Gl 5: 22-23. São essas qualidades que dão condições ao homem de Deus de desenvolver um pastorado eficaz, produtivo e abençoado.
Professores de seminários e de instituições teológicas costumam dizer, nos primeiros dias de aula, aos alunos: "Se você veio estudar no seminário porque não conseguiu passar no vestibular, está no caminho errado". Ministério pastoral não é segunda opção, não é decisão forçada por circunstâncias humanas.
Ainda quanto às motivações, Pedro cita a "sórdida ganância". Essa expressão refere-se a interesses financeiros. Desde o primeiro século, certas pessoas pensavam no ministério como fonte de ganhos financeiros.
O mercantilismo da fé tornou-se um grande negócio. Há pregadores que usam o Evangelho como instrumento para enganar o povo em sua simplicidade e arrebanhar os incautos. Não pensam nas almas perdidas, mas no dinheiro que podem vir a obter através de contribuições.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Obedeça a palavra de Deus e defenda sua fé



“Há muitos que se apóiam na péssima orientação do Dr. Gamaliel em Atos 5:38-39, que disse: “... se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus”. A igreja mórmon surgiu em 1830, a adventista em 1844, a Testemunha de Jeová em 1881, a espírita kardecista em 1857, a maçonaria em 1717, o islamismo em 622, etc. só para citar alguns poucos grupos religiosos que existem há décadas ou séculos. São de Deus por estarem há tanto tempo no mundo? O longo tempo de existência aprova sua interpretação bíblica como correta?”
E claro que não!!!A palavra "apologia" vem de uma palavra grega que significa "dar uma defesa".
Apologética Cristã, então, é a ciência de dar uma defesa da fé Cristã. Há muitos céticos que duvidam da existência de Deus e/ou atacam a crença no Deus da Bíblia. Há muitos críticos que atacam a inspiração e inerrância da Bíblia. Há muitos falsos professores que promovem doutrinas falsas e negam as verdades básicas da fé Cristã. A missão da apologética Cristã é combater esses movimentos e promover o Deus Cristão e a verdade Cristã.
O versículo chave para a apologética Cristã é provavelmente 1 Pedro 3:15-16: "antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, fazendo-o, todavia, com mansidão e temor..." Não há nenhuma desculpa para um Cristão ser completamente incapaz de defender sua fé. Todo Cristão deve ser capaz de pelo menos dar uma apresentação razoável de sua fé em Cristo. Não, nem todo Cristão precisa ser um especialista em apologética. Todo Cristão, no entanto, deve saber o que acredita, por que acredita, como compartilhar sua fé com outras pessoas, e como defendê-la contra mentiras e ataques.
Apologética Cristã é simplesmente apresentar uma defesa básica da fé Cristã e da verdade Cristã àqueles que delas discordam. Apologética Cristã é um aspecto necessário da vida Cristã. Somos todos comandados a estarmos prontos e equipados a proclamar o Evangelho e defender nossa fé (Mateus 28:18-20; 1 Pedro 3:15). Essa é a essência da apologética Cristã.

sábado, 24 de setembro de 2011

"AMOR"



Nosso amor não só é condicional, mas também inconstante. Nosso amor é baseado em emoções e sentimentos que podem mudar de um momento para o outro. A taxa de divórcio é extremamente alta na sociedade de hoje porque maridos e esposas param de um amar uns aos outros depois que se "desapaixonam". Talvez passem por uma fase difícil no casamento e não "sentem" mais amor por seu esposo ou esposa, então pulam fora. Evidentemente, o voto de seu casamento de "até que a morte nos separe" significa que podem se separar quando o amor por seu cônjuge morre, ao invés de sua morte física.

Será que alguém pode realmente compreender amor "incondicional"? Parece que o amor que os pais sentem por seus filhos é o mais perto de amor incondicional que podemos alcançar sem a ajuda de Deus nas nossas vidas. Continuamos a amar nossos filhos através dos tempos bons e ruins, e não paramos de amá-los mesmo quando não atingem nossas expectativas. Fazemos a escolha de amar nossos filhos mesmo quando os consideramos difíceis de serem amados; nosso amor não acaba mesmo quando não "sentimos" amor por eles. Isso é parecido com o amor de Deus para conosco, mas como veremos em breve, o amor de Deus ultrapassa a definição humana de amor ao ponto que é difícil de realmente compreendê-lo.
Como a Bíblia descreve o amor? A Bíblia diz em 1 Coríntios 13:4-7 “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”
A Bíblia diz que devemos amar-nos uns aos outros. A Bíblia diz em 1 João 2:7-8 “Amados, não vos escrevo mandamento novo, mas um mandamento antigo, que tendes desde o princípio. Este mandamento antigo é a palavra que ouvistes. Contudo é um novo mandamento que vos escrevo, de vos ameis uns aos outros, o qual é verdadeiro nele e em vós; porque as trevas vão passando, e já brilha a verdadeira luz.
O amor não é só para amigos. A Bíblia diz em Mateus 5:43, 44 “Ouvistes que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem.”
O amor é o resumo da lei de Deus. A Bíblia diz em Mateus 22:37-40 “Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.”
Podemos mostrar o nosso amor a Deus guardando os Seus mandamentos. A Bíblia diz em 1 João 5:3 “Porque este é o amor de Deus, que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são penosos.”
Não deixe que o seu amor por Deus se enfraqueça.
Tudo se reume no "AMOR"
Ame a Deus Acima de todas as coisas
Ame ao proximo como a você mesmo.
Apenas demonstre seu "AMOR"
Pr.ALEX RABELLO

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

CAMPANHA É BIBLICO OU NÃO???


CAMPANHA: Campo onde acampam tropas. Acampamentos, batalhas, operações militares. Conjunto de esforços ou de lutas para um fim determinado.
Podemos denotar claramente que o emprego e uso da expressão, é direcionado para realizações dos acontecimentos materiais.

Agora vamos para a palavra de Deus: Na primeira Carta do nosso irmão Paulo aos Tessalonicenses 5.17, a palavra diz: “Orai sem cessar”. Esta sim, é a campanha do crente. Porque o Senhor Jesus Cristo requer muito mais do que o conjunto de esforços por alguns dias para alçarmos um determinado fim.
Para que tenhamos paz aqui na terra e nos dias vindouros a vida eterna, se faz necessário muito mais do que simples sessões de orações por alguns dias previamente determinados. A palavra do Senhor comprova a necessidade de orarmos incessantemente, porque o nosso compromisso vai muito mais alem do que alcançarmos algum bem material, para satisfazer as nossas necessidades, ou a vaidade e luxúria deste mundo.
Então perguntamos onde está o fundamento bíblico para se realizar campanha? Com toda certeza, no Evangelho de Cristo não há ordenança para as chamadas “campanhas” que os homens promovem hoje na maioria das igrejas. Nas escrituras não há uma só passagem que venha fundamentar o emprego da campanha na igreja. A palavra do Senhor diz que se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens. Hoje as igrejas promovem e executam uma variedade de campanha com finalidade para todos os gosto, cujo objetivo é sempre apontado para atingir as prosperidades materiais. Algumas inusitadas, como por exemplo:

A campanha do sabonete: É recomendado ao irmão comprar o sabonete ou xampu (na igreja é lógico) onde segundo o pastor, esses produtos são ungidos, depois é só usá-los, e, como uma fórmula mágica, todos os seus problemas serão resolvidos e os desejos atendidos. Ficou muito fácil, não é?

Campanha da fogueira santa: Uma vez por ano, você terá que doar para a organização religiosa todos os seus bens materiais, ou parte deles, ou pelo menos um salário mínimo, para receber do Senhor tudo em dobro, segundo as promessas dos dirigentes dessa organização. E onde está o propósito de Deus nisso?

Campanha do óleo ungido no céu: Recentemente, um pregador declarou publicamente que havia ungido um óleo nas alturas, ocasião em que praticava um passeio panorâmico de avião, alegando estar próximo do Trono de Glórias de Deus, e por isso aquele óleo estava dotado de maior poder e virtude que qualquer outro óleo ungido na terra, pois fora ungido quando estava mais perto de Deus.
Algo semelhante à iniciativa dos descendentes de Noé que realizaram uma edificação conhecida popularmente como Torre de Babel, cujo objetivo era o cume tocar nos céu. Exatamente como ocorre hoje, aquele povo também desejava alcançar o céu utilizando-se dos elementos materiais, por isso o Senhor desceu e confundiu as línguas, e ninguém mais foi a lugar nenhum.

Campanha dos Talentos: No início da campanha, o pastor lhe fornece uma cédula de dinheiro, e no encerramento você terá que devolver aquela quantia no mínimo duplicada, e ainda afirma que é para concretização da prosperidade da vida financeira (a do pastor, é claro).

Campanha dos doze cestos cheios: Realizam reuniões na igreja nos doze primeiros dias do mês, para que haja abundância o ano todo. Mas Jesus disse: “Buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas (Mateus 6:33).
E assim sucessivamente, ficaríamos aqui a noite toda, falando da diversidade de campanhas existentes hoje nas igrejas, preencheríamos muitas páginas neste tema. E o mais inexplicável em tudo isso, é ver pessoas investindo alto nesses absurdos e confiando em promessas fantasiosas e mirabolantes.
E por trás de todas essas campanhas, ocorre algo que os fieis não conseguem aperceber, em torno de todo esse ato devocional, vem a abocanhada. Em tudo isso sempre há o interesse financeiro dos dirigentes das organizações religiosas, os quais, certamente irão lucrar com a fé dos que participam das campanhas.

Mas a maior complicação em tudo isso, ainda está por vir, o resultado final desses atos e as suas conseqüências. O pastor da igreja acaba redirecionando a fé da sua ovelha para a campanha, que é um ritual, um simbolismo, um sacrifício material, deixando em segundo plano a fé em Cristo Jesus, que tudo nos dá, e de “graça”.
A situação é muito preocupante, porque as pessoas acabam crendo que só receberão bênçãos através das campanhas, e isso não é verdade.
A campanha tornou-se um engodo, uma isca para atrair e compromissar o crente com a igreja, que muitas vezes são chantageados espiritualmente à participar e dar continuidade, isto é, não quebrar a campanha, para que não venham à receber maldição ao invés de benção. E acabam perdendo o vínculo com a fé em Cristo, e o contato com o propósito final da morte de Cristo na Cruz, que veio para nos remir de todo pecado e nos ofertar a vida eterna.

Meu amado irmão esteja atento quanto a voz dos espíritos enganadores. A sua cura e libertação, não virá das águas do Rio Jordão, nem do pisar sobre o sal grosso do Mar Morto, nem tão pouco por orações realizadas no Monte Sinai ou em qualquer outro lugar do mundo, a sua libertação virá pela fé em Cristo, aquele que derramou o seu sangue inocente na cruz do Calvário, para todo que nele crer, não pereça mas tenha a vida eterna.
Para os crentes verdadeiros, o único alvo é a cruz de Cristo, e o seu propósito tem que ser a esperança da salvação, e essas campanhas, acabam sufocando a fé e a promessa da vida eterna, porque o objetivo da campanha é outro, é a busca desenfreada pela prosperidade material.
Esquecem que o maior patrimônio que podemos conquistar aqui na terra é a “graça” do Senhor Jesus, e nos dias vindouro, a vida eterna. E, para isso não precisa pagar nada e nem realizar campanha alguma, porque Cristo já pagou a dívida que o homem contraiu com Deus, pagou o mais alto preço, pagou com o seu próprio sangue o preço pela remissão dos nossos pecados.

A nossa preocupação é em razão das conseqüências disso tudo, que podem ser desastrosas. A campanha vira uma obsessão, o que pode acabar consumando a morte na fé, e a renúncia da vida eterna, porque os fieis estão sendo desviado da santificação e da vida espiritual em Cristo. No Evangelho de João 4.22 a 24, disse Jesus: Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores, adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.
Então o irmão poderá questionar: Se a campanha não tem fundamento bíblico, porque há tantos testemunhos de pessoas que participam de campanhas e são agraciadas? Vamos responder usando o texto bíblico: Na carta Universal do Apóstolo Tiago capítulo 4.13 a 16 diz:
Agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos.
Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece.
Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo. Mas, agora, vos gloriais em vossas presunções; toda glória tal como esta é maligna.

A confirmação da palavra vem na carta aos I Coríntios 11.13 a 15 a qual diz:
Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras.

Portanto, para ser próspero, não se faz necessário amontoar fortuna para si, pois José, filho de Jacó, estando preso inocentemente nas masmorras do faraó do Egito, era próspero, porque Deus era com ele (Gênesis 40).
Jó, tendo perdido todos os seus bens e seus dez filhos, estando em grande tormenta, pois sentia na carne a ação de satanás, sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus e morre. Mas ele lhe disse: Como fala qualquer doida, assim falas tu; receberemos o bem de Deus e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios. E pela sua fidelidade, o Senhor Deus restaurou a sua saúde e lhe concedeu a restituição dobrada de todos os seus bens materiais. Teve também outros dez filhos muito mais virtuosos do que os primeiros.

O Apóstolo Paulo também nos deixou o seu testemunho de humildade, na carta aos Filipenses 4.11 a 13, disse: Já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido e sei também ter abundância; em toda a maneira e em todas as coisas, estou instruído, tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter abundância como a padecer necessidade. Posso todas as coisas naquele que me fortalece.
E no capítulo 12 da primeira carta aos Coríntios, o Apóstolo relata sobre visões e revelações que teve quando foi arrebatado ao Paraíso, e para não se gloriar foi lhe dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás, a lhe esbofetear, a fim de não se exaltar. Acerca do qual por três vezes orou ao Senhor, para que se desviasse daquele mal, mas o Senhor lhe respondeu: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.

Diante de tantas maravilhas na palavra do Senhor, agora vem o homem com mais uma falsa doutrina, ensinando os seus seguidores a pecar, doutrinando esses a “determinar” e “não aceitar”. Exortamos aqui aos irmãos a não incorrer nestes erros, porque esse ensinamento de “determinar a sua benção” e “não aceitar as provações”, é pura heresia. Em breve estudo específico sobre o assunto, mas enquanto isso, vá se desviando do mal.

A palavra nos alerta sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer, vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas essas coisas que hão de acontecer e de estar em pé diante do Filho do Homem.

I Timóteo 2.8 – Quero pois que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas sem ira nem contenda.
Esta é a campanha que os verdadeiros adoradores necessitam fazer, orar sem cessar, em todo tempo, em todo lugar, com mãos santas, sem ira e nem contenda.
Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos, velando nela com ação de graças.